18 de abr de 2008

Dia de comemorar Lobato


"Ainda acabo fazendo livros onde nossas crianças possam morar".
(Monteiro Lobato, 18 de abril de 1882)

4 comentários:

May Shuravel disse...

Acredito que ela conseguiu, quantos de nós não moraram naquele Sítio...
Eu recordo que morei, assim como tenho certeza de que algum dia usei um vestido "cor do mar com todos os seus peixinhos".Sempre que vejo na TV algum desfile super bacana, lembro-me dele: " o mais lindo era que o vestido não parava um só instante.Não parava de faiscar e brilhar, e piscar e furtar-cor, porque os peixinhos não paravam de nadar nele. As algas ondeavam suas cabeleiras e os peixinhos brincavam de rodear os fios ondulantes sem nunca tocá-los nem com a pontinha do rabo.De modo que tudo aquilo virava e mexia e subia e descia e corria e fugia e nadava e boiava e pulava e dançava que não tinha fim..." Essa maravilha não para por aí, tem mais lá no "Reinações de Narizinho".É pra matar de inveja qualquer estilista, não?
beijo
May

May Shuravel disse...

Corrigindo: acredito que ELE...

Maria Amália Camargo disse...

Ah, eu moro naquela coleção de livros de capa dura verde bem escura até hoje...
O que seria de nós sem as histórias do Monteiro Lobato?
Ele inspirou meus pais continua a me inspirar até hoje!
Um beijo grande,
Maria Amália

carla caruso disse...

eu morei no sítio e comi muito melado.
eu morei no sítio e encontrei o minotauro.
eu morei no sítio e fui com o pedrinho na floresta ver os sacizinhos dentro do bambu.
eu morei no sítio e fui ao reino das águas claras.
Fiquei com vontade de comer bolinho de chuva da tia Nastácia...
O sítio de capa verde e dura mora aqui no alto da minha estante.

Um beijo para todos os meus vizinhos-moradores do Sitio do picapau amarelo...

Carla