4 de fev de 2011

Dos temperos

Dias atrás uma amiga comentou que alguém era destemperado - a pessoa em questão tinha tido um chilique por conta de certa situação. Essa história não vem ao caso, mas fiquei pensando que, em alguns momentos, todo mundo pode ficar desse jeito, destemperado, porque, às vezes a receita desanda mesmo e tudo acaba dando errado.
Fiquei pensando também que a palavra destemperado tem a ver com o tempero, digamos, natural das pessoas. Quem não conhece a moça bonita, mas sem sal, o moço que, de tão doce, até enjoa, gente azeda como vinagre e gente gostosa com cheiro de cravo e canela? Também tem os mais apimentados, os bem suaves, os exóticos e condimentados, e assim por diante. Cada um tem seus ingredientes, faz misturas assim ou assado e em doses que dão o molho, um sabor único de cada pessoa. Apesar disso, a língua ensina: quando as coisas ficam esquisitas, qualquer um pode destemperar.

(ST)

4 comentários:

Tanya Volpe disse...

Sil querida,
Adorei!!!
Estou começando a pensar como eu "repico".
beijo e saudade
Tanya

Silvana Tavano disse...

Tanya! Antes de publicar esse post até pensei em mandar pro seu delícias&paisagens, acredita?
Você certamente pode escrever sobre "o tempero das pessoas" muito melhor do que eu!
beijos

Juliana disse...

O q faz de cd um ser o q é, é realmente o tempero. De q adianta pegar a receita da vovó se a diferença tá em como temperar.
Adoro seus textos.
aceramista-juliana.blogspot.com

Luis Fernando disse...

Por isso nossa língua trabalha mais que nossos demais órgãos na cama...