17 de mai de 2010

O problema

Meu avô tem cara de problema.
Acho que ele é a única pessoa pra quem pergunto "tudo bom?" querendo saber se está tudo bom mesmo. É que sempre esqueço que o problema é a cara dele: minha vó já me explicou que a culpa é daqueles riscos na testa e principalmente dos dois grandões que ficam pendurados no meio dos olhos. Outro dia, vi uma foto de quando ele era pequeno, e reparei que não tinha risco nenhum. Daí perguntei pra minha vó se isso tinha acontecido por causa de algum vento -- já me disseram que eu podia ficar vesgo pra sempre se alguém soprasse bem na hora da careta. Mas não foi nada disso: ela disse que, no começo, eram só uns risquinhos que apareciam quando meu avô ficava preocupado com alguma coisa. Depois de muitos anos e muitas coisas preocupantes, os riscos cansaram de ir e vir, então resolveram ficar lá pra sempre.
Mesmo quando lembro disso acho meio esquisito ver meu avô rindo. Não tem jeito, a cara de problema sempre estraga um pouco a piada.

(ST)
Postar um comentário