1 de mar de 2010

A chave de casa

Cada vez que ouvia o barulhinho novo dentro da bolsa, sentia um arrepio de contentamento. Era como se, agora, pudesse abrir todas as portas do mundo.

(ST)
Postar um comentário