15 de fev de 2009

Pirlimpimpim

"No futuro, a obra literária será apresentada sob forma de essências em frasquinhos ou de alguma especial eletricidade acumulada em bobinas. Sorvendo a essência ou pondo-se em contato com o fluido, o leitor terá, desdobrado na tela da imaginação, o romance que o autor enfrascou ou acumulou e sentirá as mesmas emoções que o romancista sentiu.
...
Não se dirá como hoje: li um romance, e sim -- cheirei.
-- Marieta, onde pôs você o "Professor Jeremias" que estive cheirando ontem?
-- Caiu das mãos da Valéria e quebrou-se.
-- Mande à farmácia comprar outro. E mais uns novos, "Vida Ociosa", "Condenados", por exemplo.
-- Fluido ou comprimidos?
-- Em comprimidos. Com estas criadas, impossível uma biblioteca fluida...

("Em 2527", de Monteiro Lobato, foi publicado pela primeira vez em 1923, na primeira edição de "Mundo da Lua")

Um comentário:

Regina d'Ávila disse...

Já estamos, quase, chegando neste tempo...será maravilhoso...
Adorei..
Bjsssssssssss
Regina.