11 de fev de 2009

Algumas ideias sobre... as ideias

As ideias estão por aí, em toda parte e de tudo que é jeito. Muitas são bem discretas, não chamam a atenção de ninguém, mas isso não quer dizer que não sejam boas. Pelo contrário: às vezes, a ideia mais simplesinha é justamente a que acaba se revelando genial!
Tem as mais óbvias, que todo mundo vê -- algumas são até exibidas, ficam piscando pra gente. Mas, mesmo essas, podem se juntar de jeitos interessantes e originais.
Depende muito da gente, e o motivo é simples: quando uma delas entra na nossa cabeça, normalmente fica dando voltas até encontrar um lugarzinho pra se encaixar. Daí, a ideia pode se acomodar durante um tempo, mais ou menos quieta. Mais ou menos porque, sendo uma ideia, ela é agitada por natureza: está sempre querendo encontrar outras ideias, um pouco pra se comparar mas, principalmente, pra se completar: é que as ideias gostam de crescer.
Uma ideia madura fica bem redondinha. Nessa hora, ela costuma saltar pra fora da cabeça onde cresceu. Sai rolando pelo mundo e, aí, tudo pode acontecer. Se for uma boa ideia, vai convencer, inspirar, encantar as pessoas. Quanto melhor for, mais chances a ideia terá de se multiplicar e se espalhar, participando da criação de todas as coisas. Todas mesmo.
Pecado é quando uma ideia se perde, ou fica solitária, e acaba murchando num canto qualquer, sem chance de se provar. Mesmo que não seja a melhor ideia do mundo, acreditem, sempre é um desperdício.

(Silvana Tavano)
Postar um comentário