19 de fev de 2008

Vamos assinar!

Quando as primeiras fachadas coloridas começaram a aparecer pela cidade -- resultado da reforma imposta pela queda das placas e dos outdoors-- cheguei a sentir uma certa simpatia pelo prefeito de São Paulo. Lamentável é que, a mesma assinatura que endossou o projeto "Cidade Limpa", autorize, agora, a extinção de quatro bibliotecas públicas. Só que, bem diferente do que aconteceu no primeiro caso, o Decreto 49.172/2008 foi celebrado sem nenhum alarde, pouco antes do carnaval. Por "falta de público", as bibliotecas infanto-juvenis Chácara do Castelo, Arnaldo de Magalhães Giácomo, Cecília Meireles e Zalina Rolim serão transformadas em centros de memória, cultura, convívio e que tais. Seus "acervos" serão repartidos e disponibilizados em novos locais -- como se uma biblioteca fosse simplesmente um depósito de livros.
Felizmente, já está circulando na internet um abaixo-assinado liderado pelo professor Edmir Perrotti, da USP, pedindo a revogação do decreto. O Conselho Regional de Bibliotecas de São Paulo decidiu entrar na briga e pretende entregar, no dia 20/2, as listas de nomes. Para aderir, basta entrar no site, colocar nome e sobrenome e clicar em "sign the petition".

(Silvana Tavano)

Um comentário:

Anônimo disse...

Silvana
É de chorar. Secretário da Cultura que faz uma dessas, quando morrer vai direto pro inferno(que pra ele talvez seja uma biblioteca). Fiquei sabendo desta história dias atrás, mas não acreditei(e não é inacreditável?)Pensei que talvez fosse até uma boa idéia que essas bibliotecas(que conheço bastante)se tornassem TAMBÉM centro de convívio, que seria uma boa maneira de atrair as pessoas, para que pais levassem seus filhos para apresentá-los à biblioteca, para que a vizinhança descobrisse que aquele espaço é deles e, principalmente,os livros também.Seria um belo ponto de encontro para se conversar sobre livros, sobre leitura e também outros assuntos de interesse da comunidade.Cheguei a imaginar os prédios sendo reformados, acervos renovados, mediadores de leitura sendo contratados."Ados" nenhum. Acharam mais fácil sumir com as bibliotecas, que tristeza, que horror.E ainda vão nos apresentar novos projetos de "Incentivo à Leitura" e tarará.
um abraço dos mais desanimados
May