4 de out de 2007

Texto que desenha, imagem que fala

Papeando com a escritora Ana Maria Machado, que entrevistei tempos atrás, o assunto "ilustração de livros infantis" entrou na roda: falamos sobre como é fantástico quando o ilustrador traduz em imagens o que está na cabeça do escritor --mais que isso, quando os desenhos somam, acrescentando significados e dando novos sentidos ao texto. Por essas e por outras, tenho uma certa inveja de quem ilustra e escreve, como minha amiga May Shuravel. A história completa da vaca Valda está no livro "Na Casa do Coringa", editado pela Companhia das Letrinhas:
Era uma vez uma vaca amarela
chamada Valda Clotilde Vitela.
Vaca exigentíssima,
não tolerava relaxo ou mazela.
Usava luvas de puro cetim,
meias de seda, colar de marfim,
pulseira de ouro
(presente do touro)
e muitas outras coisinhas assim.

(ST)

2 comentários:

Anônimo disse...

Silvana, fiquei super feliz de ver a Valda Clotilde no blog, com certeza ela está também, vaidosa que é. Temo apenas que ela se enfureça,descontrolada, ao ver o Curinga ser chamado de Coringa.Já expliquei para ela que essa confusão é irrelevante, além de frequente, provavelmente originada pelo mesmo temor que levou um time de futebol paranaense a se intitular COritiba...
beijo
May

carla caruso disse...

curinga ou coringa,

o livro é uma delícia!
as ilustrações
os versos...

já li para muitas crianças e no final é sempre a mesma fala:
_ Lê de novo!

um beijo para a May e Silvana,

da Carla