27 de jan de 2011

Livros


São três e todos trazem o mesmo aviso na ficha catalográfica: literatura infantojuvenil. Mas quem busca lindas histórias, textos delicadíssimos e ilustrações maravilhosas não deve se intimidar com isso. Eu nunca tinha lido nada de David Almond, fiquei curiosa com o título e acabei comprando "Meu Pai é um Homem-Pássaro". Não me arrependi. Numa fábula encantadora, Almond fala de perda e dor, celebrando a vida com a mesma doçura das imagens criadas pela ilustradora Polly Dunbar. Uma lindeza. Vale dizer que o autor levou o Hans Christian Andersen 2010 com este livro.
O segundo título foi um achado inesperado, num sebo de Tiradentes, onde estive no final do ano: "O Terno Tanto Faz Como Tanto Fez", da poeta americana Sylvia Plath. O desejo secreto de Max, o mais novo dos seis irmãos da família Nix, é o mote da brincadeira que mistura a história do terno com ternura, num texto macio e lindamente ilustrado por Rotraut Susanne Berner.
Sempé e bicicletas são dois motivos suficientemente fortes pra me fazer comprar um livro. A aventura de "Raul Taburin" rola solta entre selins, pedais e câmaras de ar, contando o drama de um mecânico de bicicletas que não conseguia se equilibrar sobre duas rodas. Traduzido por Mario Sergio Conti, o texto deixa a descrição dos personagens e cenários por conta das ilustrações maravilhosas, como essa aí em cima, que explicam tudo.

(ST)
   

Postar um comentário