21 de set de 2009

Golpe

mãe, tô me sentindo meio estranho, não abre a janela, não, por favor, acho que não vai dar pra levantar porque tá doendo... é... tá doendo... humm... é meu dente que tá doendo. o que? dentista, não, não, quer dizer, acho que não é o dente, é na boca, mas não é dente, é lá dentro, parece que é no céu da boca a dor, esquisiiiiiiiiiiiiito. se é a garganta? é, pode ser, agora que você falou... hã-hã, tá vendo? é isso mesmo, a garganta tá pegando... deve ser isso a dor. então, acho que é melhor ficar em casa hoje, né, mãe? amanhã eu explico pra professora, ela até achou que eu tava meio assim ontem. meio mole, sabe? esqueci de contar, mas ela disse que eu tava um pouco quente, não muito, acho que era aquela febre que não é febre mas vai ser. eu tô mesmo sentindo isso, mãe, daqui a pouco vai ser febre, então é bom eu dormir mais um pouquinho, você sempre diz que a gente precisa descansar quando tá gripando... deve ser gripe esse sono. então. é só descansar e daí eu fico bem ótimo, e nem vai precisar de remédio, não é bom?

(ST)

5 comentários:

cristiane disse...

Acho que sei em que você se inspirou pra fazer esse post, hehehe...

beijos

júlia medeiros disse...

é o golpe mais irresistível de todos! alguma mãe se segura?

Maria Teresa disse...

Quem nunca ouviu essa conversinha??

Desconectada disse...

Maravilha de golpe!

Pra cada experiencia uma música disse...

Mêu....é irresistível essa conversa deles. rsrsrsrrs