14 de set de 2009

...

"As reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho" (Mario Quintana)

Com 20 e poucos anos eu abusava das reticências. Meus primeiros contos eram cheios de frases assim, terminando sem terminar. Os três pontinhos sempre deixavam "alguma coisa" no ar -- acho que a intenção era criar certo mistério, ou, sei lá, sugerir significados mais "profundos". Quando releio um ou outro desses textos, alguns até premiados em concursos de contos daquela época, vejo que o que todas aquelas reticências pontuavam era a minha falta de coragem (e também de repertório) pra dizer as coisas até o fim. Os textos é que eram reticentes. Não dá pra exagerar: os três pontinhos só contam alguma história quando a gente usa com economia, e na hora certa.
Gosto de pensar nas reticências como Quintana definiu, mas, hoje em dia raramente me permito usar essa pontuação. Meu esforço é pra que o pensamento continue por conta própria o seu caminho mesmo depois do ponto final.

(ST)

5 comentários:

may disse...

Eu tento me policiar pra não abusar das reticências,gaffe execrada pela maioria absoluta dos literatos,mas não sei viver sem elas...
beijos
May

Silvana Tavano disse...

May, nem acho que os pobres pontinhos mereçam ser crucificados como gafe literária. Acontece que eu exagerava mesmo, fiquei meio traumatizada. Dia desses mostro um desses contos pra você. É ... pra lá e pra cá o tempo todo! Também tenho trauma de "que" -- e acabo de notar qie só nesse post tem cinco, um absurdo!

Sallem disse...

Silvana! Como disse que faria, aqui vai o link do desenho:
http://www.flickr.com/photos/deborahsalles/3875337917/
Agora, sobre as reticências... Tinha abandonado o vício, me policiava ininterruptamente, mas um pouco por causa do seu filho também (e essa coisa toda de comunicação virtual, messenger e afins), num é que acabei tirando-as da gaveta? Parece é que elas obrigam o leitor a ler frases subentendidas - acho que no final das contas fiz as pazes com elas.

Silvana Tavano disse...

Deborah, obrigada! Você desenha lindamente. E pode usar reticências à vontade -- elas também se escrevem nas imagens, não?

beijo

Maria Teresa disse...

Silvana: gostei muito da reflexão sobre as reticências. Nunca pensara nelas com todo esse "perfil".
Foi a primeira vez que visitei o seu blog e já me tornei uma seguidora. Parabéns.
Maria Teresa