14 de set de 2009

...

"As reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho" (Mario Quintana)

Com 20 e poucos anos eu abusava das reticências. Meus primeiros contos eram cheios de frases assim, terminando sem terminar. Os três pontinhos sempre deixavam "alguma coisa" no ar -- acho que a intenção era criar certo mistério, ou, sei lá, sugerir significados mais "profundos". Quando releio um ou outro desses textos, alguns até premiados em concursos de contos daquela época, vejo que o que todas aquelas reticências pontuavam era a minha falta de coragem (e também de repertório) pra dizer as coisas até o fim. Os textos é que eram reticentes. Não dá pra exagerar: os três pontinhos só contam alguma história quando a gente usa com economia, e na hora certa.
Gosto de pensar nas reticências como Quintana definiu, mas, hoje em dia raramente me permito usar essa pontuação. Meu esforço é pra que o pensamento continue por conta própria o seu caminho mesmo depois do ponto final.

(ST)
Postar um comentário