4 de abr de 2011

Animal ferido

Disseram que ela passou o tempo todo miando pelos cantos do apartamento, desolada. Nem por isso tive uma recepção calorosa quando cheguei de viagem. Aliás, foi mais uma não-recepção, como sempre acontece. Assim que entrei em casa, a gata me lançou um rápido olhar acusador e seguiu fazendo suas coisas, sem dar a menor bola. O gelo continuou no final de semana, e depois de duas ou três tentativas de aproximação, resolvi ficar na minha. Hoje cedo, como quem não quer nada, ela pulou pra cima da “nossa” mesa e foi se acomodando na almofada preferida -- o roteador sempre quentinho -- só que fez questão de ficar assim, de costas pra mim. Também vou fazer de conta que não é comigo. Vamos ver quanto tempo ela aguenta. 

(ST)              
Postar um comentário