9 de dez de 2010

O encontro

Já estou acostumada a trabalhar olhando pras maritacas, sanhaços, bem-te-vis, sabiás e tantos outros que aparecem todos os dias. O bufê de frutas da minha janela é um sucesso e certamente está sendo divulgado de bico em bico porque a freguesia só aumenta. Enquanto o prato está cheio, a casa fica lotada, a turma não sossega antes que tudo vire casca e caroço. São interesseiros e nem escondem: aparecem pra comer e logo batem asas. Alguns até dão um tempinho na plataforma, mas eu nunca tinha visto nada parecido com o que aconteceu ontem. Esses dois sabiás chegaram juntos, não tocaram nas frutas e passaram um tempão assim, olho no olho, no maior clima. De vez em quando, o da esquerda soltava um piozinho sem parar de encarar o outro, ou melhor, a outra. Não entendo nada de pássaros, mas tive certeza de que era um casal.  Depois de um desses piozinhos dele, ela respondeu com um pio tímido e virou o pescoço, como se estivesse fazendo charme. Cheguei bem perto, fiz um monte de fotos e eles continuaram desse jeito, na deles, sem dar a mínima nem pra mim nem pras bananas.                    
 Acho que a cantada do sabiá colou porque os dois sairam juntinhos, voando na mesma direção.

(ST)
Postar um comentário