12 de out de 2010

Foi assim


Poesia e mais poesia na Casa das Rosas, com o Ricardo da Cunha Lima, eu e muitas crianças que fizeram questão de ler e até declamar poemas de cor. Pra sentir o gostinho do nosso sarau, segue o "Prato do Dia", um dos textos que rechearam a tarde:

O arroz é branquinho
Quando está sozinho
Mas muda de gosto e de cor
Com qualquer caldinho

A palavra é como o arroz
Quando está só, diz uma coisa
Mas pode dizer outras
Depende do que vem depois

Porque as palavras se temperam
Combinam os sabores e surpreendem
Abrindo o apetite da gente
Cada vez com uma história diferente

(ST)
Postar um comentário