7 de jan de 2010

Magoada

É sempre assim: o drama começa quando tiro qualquer mala do armário. Primeiro, ela fica agitada. Depois, pula pra dentro da mala e fica me encarando, como se quisesse uma explicação. E eu explico. Conto que é uma viagem rápida de trabalho ou que só vou ficar fora no final de semana ou que todo mundo tira férias de vez em quando. Não adianta porque, de todo jeito, ela some logo em seguida, se recolhe pra um dos seus esconderijos. Dá pra entender, também não gosto de despedidas. Quando volto, ela sempre dá uma esnobada de uma ou duas horas, mas depois tudo entra nos eixos. Quer dizer, entrava. Faz três dias que cheguei de uma semaninha na praia e as coisas não vão nada bem. Acho que dessa vez ela ficou muito chateada. Está me castigando pra valer. Tentei de tudo, mas não tem conversa, nem um miado. Até ontem eu estava achando que era cena, mas fiquei preocupada de verdade depois que ela simplesmente ignorou o prato cheio de petisco crocante sabor salmão, iguaria reservada para as ocasiões especiais. Em dez anos, isso nunca aconteceu. E hoje, isso.

Ela entrou na caixinha, virou a cara pra parede e ficou desse jeito. Horas. Não sei mais o que fazer pra quebrar o clima. Alguém tem uma sugestão?

(ST)
Postar um comentário