28 de out de 2009

Ausência


Longe é um lugar onde eu ainda não posso ir.

Fica depois do fim do mar, atrás de umas montanhas muito altas que vão até o céu do cartão postal.

Não sei bem como meu pai chegou lá.
Uma vez minha mãe disse que foi de navio.
Mas outro dia perguntei de novo, e ela falou que foi de avião.

Fiquei pensando: acho que primeiro ele viajou de navio e depois tomou um avião.
De tão longe que Longe deve ser.

...
Trecho de "Longe", ilustrado por Mariana Newlands.

(ST)

4 comentários:

Denise Portes disse...

Quanta poesia e melodia têm nas suas palavras!
Muito lindinho!
Beijo
Denise

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Maria Teresa disse...

Tive que pegar o avião primeiro e depois o navio para fazer o caminho ao contrário e conhecer aquele espaço de ternura. Ele é azul. Beijo.

Flávia Reis disse...

Silvana,

Texto sensível em som e sentido!

Suuper Parabéns,
Flávia