1 de out de 2008

Uma palavra, muitas chaves

Quando apita, é a pressão da panela
Quando fecha, é a pressão do botão
E se prende o cabelo é porque tem pressão na fivela

A pressão da vovó sempre é baixa
E a pressão do tempo faz tudo ficar urgente
É tanta correria que ninguém relaxa!

Pra forçar uma situação
Tem quem faça uma certa pressão
Mas isso não causa uma boa impressão

Pressão assim, pressão assado
A pressão vai pra todo lado
Encaixando em cada significado!

E para abrir tantas portas
Uma palavra-chave é o bastante
Isso não é impressionante?

(Silvana Tavano)

4 comentários:

Cmoon disse...

Sil, a pressão da fivela e do botão, me trazem satisfação...rs
Agora, pressão de situação tô fora...é um eterno desaprender e a gente quer aprender...
A pressão hoje para mim, é como um presente ruim, se você não aceita o presente, quem fica com o presente no fim???
:)
Adorei este post e os anteriores...
bj

Silvana Tavano disse...

E eu adorei o seu comentário.
Vamos lançar uma campanha? "Pressão, tô fora!"... Lá mesmo, você sabe onde (rs).
beijo!

Anônimo disse...

Sil,
Você se inspirou, para este poeminha, no ar que anda aspirando pelas bandas do lado de lá do rio Pinheiros?
Muito bom.
beijos,
PAtricia

Silvana Tavano disse...

É isso aí: estou aspirando e vou me inspirando!
beijos