28 de out de 2008

Ai, que crise!

Bolsas nervosas, mercado turbulento
Quem disse que é só nas histórias infantis
que as coisas inanimadas têm sentimento?

Nos jornais, leio notícias estranhas:
se injeção pra gripe já dói no traseiro
imagine então uma injeção de dinheiro!

Parece que certas bruxas andam soltas,
aprontando num tal de "pregão":
dizem que elas têm feito a Terra tremer
estourando bolhas de sabão...

A bruxa Creuza também tem suas crises
e o tique nervoso faz a boquinha, aflita, tremer.
Ela enlouquece e perde o controle, mas é diferente:
a gente sabe que nada de mal vai acontecer.

(Silvana Tavano)

3 comentários:

Maria Amália Camargo disse...

Silvana!
Só você pra fazer poesia com a crise! Mas não é que assim a turbulência fica mais light?
Vamos pedir à bruxa Creuza pra mexer os pauzinhos e dar um XÔ na urucubaca!
Beijocas!

Cecilia Barroso disse...

Muito boa!
Se fosse sempre assim as pessoas sofreriam menos ao perder dinheiro!

Beijocas

Anônimo disse...

Bruxa Creuza querida,

Sua crise nunca é do mal
você domina a magia
não brinca com capital

Sua boquinha nervosa
Chama logo algum “Shazam”
Inventa mundos felizes

Dá um basta no Tio Sam
Não senta em banco que quebra
Mas de vassoura requebra

E aciona instigantes poções
Nunca derrete dinheiro
Mas derrete corações!

Beijos da sua fã,
Déborah