8 de set de 2008

No tom do dia

O cinza do céu
entra pela janela sem alarde:
nubla o quarto, escurece a casa
e faz a manhã parecer fim de tarde

É como se o tempo feio
tingisse tudo de triste:
a cadeira, a xícara, as idéias
e a gente --nada resiste!

(Silvana Tavano)

4 comentários:

Ricardo Soares disse...

COM AÇÚCAR, COM AFETO... BELO POEMINHA PRA ABRIR O DIA
BJ

Silvana Tavano disse...

Salve, Ricardo bom de prosa!
Obrigada pela visita.
beijo

MALU, SIMPLES ASSIM disse...

É impressionante como o tempo influencia o nosso humor, né? Adorei o poema!

Silvana Tavano disse...

oi Malu,
obrigada pela visita --volte sempre!