18 de set de 2008

A menina e o tempo

O sol quente banha a menina com energia
Ela toma sorvete, entra no mar, sobe na árvore
Sem entender bem de onde vem tanta alegria

O vento forte deixa a menina inquieta
Na hora que passa faz bagunça e barulho
Desmancha tudo, até o cabelo da boneca!

A chuva fina mexe com o humor da menina
Pudera! Ela não pode brincar no quintal
Enquanto o pinga-pinga não termina...

O trovão barulhento faz a menina tremer
Se um raio explode, ela pula no colo da mãe
Com os olhos fechados pra não ver

Mas quando a chuva, de tão forte, até acalma o trovão
E um vento leve sopra só pra refrescar o sol
A menina sente outros tipos de emoção

Às vezes, parece tristeza, mas, de repente, vira alegria
Como se a natureza quisesse mostrar pra menina
Tudo o que a gente pode sentir num único dia

(Silvana Tavano)

2 comentários:

may disse...

Belíssimo!
beijo
may

Maria Amália Camargo disse...

Hum, depois de ler fiquei com saudades da praia e do quintal da minha infância...
Um beijo grande,