27 de ago de 2008

O lugar das coisas (2)

Dentro da sopa pode ter letrinha
Dentro da casca às vezes tem pintinho
Dentro do ninho é fácil achar passarinho

No meio da frase a vírgula cai bem
No meio do livro, marcador tem
No meio do deserto não se vê ninguém

No meio do dia tem almoço,
Dentro da azeitona tem caroço

Dentro da torta tem recheio,
No meio da aula tem recreio

No meio da vida a gente tem meia-idade
No meio da viagem tem quem já sinta saudade
No meio do caminho sempre falta a metade

Mas, dependendo da situação,
dá pra fazer uma certa confusão

Pois é no meio do filme de terror
que a assombração sai de dentro do porão,

E é lá do meio do campo que o jogador
chuta pra dentro da rede -- que bolão!

(Silvana Tavano)

3 comentários:

Anita Miguel disse...

Nossa, sil

voce está ficando cada vez melhor nisso, de brincar com as palavras


adorei o poema, beijos, RO

May disse...

Bola na rede, Silvana!

cadeorevisor disse...

Lindas poesias! Gostei especialmente da parte do livro, da vírgula e da sopa de letrinhas. Lindas demais!

Beijo,

Pablo
http://cadeorevisor.wordpress.com