27 de mar de 2008

Poesia na ordem do dia

O poeta Fabrício Carpinejar discute se criança é naturalmente poeta na boa reportagem "A Infinita Infância das Palavras", publicada na edição de março da Revista da Cultura: o poeta Manoel de Barros não tem nenhuma dúvida disso, pois "a criança sente para falar em vez de falar para depois sentir, como fazem os adultos". O escritor Celso Sisto também não: "Criança é poeta quando, em seus achados cotidianos, desvenda um ângulo diferente para ver as coisas".
A poesia infantil também é tema de vários artigos da segunda edição do Tigre Albino: é de lá que transcrevo o poema de José Paulo Paes, um "Convite", como o próprio nome diz, para que leitores de qualquer idade experimentem essa brincadeira:


Poesia

é brincar com as palavras
como se brinca
com bola, papagaio, pião.

Só que
bola, papagaio, pião
de tanto brincar
se gastam.

As palavras não:
quanto mais se brinca
com elas
mais novas ficam.

Como a água do rio
que é água sempre nova.
Como cada dia
que é sempre um novo dia.
vamos brincar de poesia?

Nenhum comentário: