17 de mar de 2008

Inspiração

Da escritora Adélia Prado: "Quem não teve um professor com quem se emocionar, não teve um professor."

3 comentários:

May Shuravel disse...

Eu me emociono até hoje apenas em lembrar das aulas do Prof. Flavio Motta, lá da FAU, nos idos de setenta e nada.Por causa do encantamento causado em mim por essas aulas, quis também tentar ser professora,e logo depois de formada fui dar aulas de desenho,numa faculdade e num colégio.Foi nesse colégio que,certa dia, o professor de História da Arte, que eu mal conhecia, me entregou um maço de papel com um texto xerocado,dizendo:leia, acho que você vai gostar; depois a gente conversa. Era "Bagagem", da Adélia Prado. Os poemas e a conversa que tivemos sobre eles renderam uma amizade que dura até hoje, mesmo eu não tendo mais nada a ver com escolas e aulas.
Ontem li, com vagar, o delicioso "Faz de conta que é verdade". Hoje ,vejo este post que fala de poesia e professores: não é que tem tudo a ver? Você escreveu com tanta delicadeza sobre esse momento de iniciação, dos medos e das promessas de belas e novas experiências... Adorei!
beijo
May

Silvana Tavano disse...

May!
que comentário lindo, que elogio lindo, poxa, nem sei o que dizer...
também adorei!
beijo
Silvana

Anônimo disse...

Deixe de modéstia, Sil, você merece todos os elogios! Também já li o "Faz de conta que é verdade", e amei...
beijinho
Trudy