4 de fev de 2013

Joaquim

Confesso que minha paixão por gatos só aumenta com o passar do tempo -- e lá se vão 13 anos convivendo com a Miúda Felina aqui em casa. Também é verdade que nos últimos meses ando muito ligada nos felinos por conta do livro em que venho trabalhando. Mas juro que não estava pensando em adotar outro bichano. Foi assim: fui buscar uma encomenda e topei com o Joaquim, um dos trocentos gatinhos que a dona da loja estava doando. A gente se olhou uma vez, e mais outra, e na terceira o pequeno soltou um oi-miau todo dengoso. No dia seguinte, sem pensar duas vezes, voltei lá e trouxe Joaquim pra casa, já com um enxoval completo --ração especial pra filhotes e brinquedos, mais um banheiro e pratinhos exclusivos, justamente pra não estressar demais a Miúda. Como eu imaginava, não adiantou nada. Transtornada com a novidade, a gata mostrou os dentes, arqueou as costas e emitindo uns sons assustadores que eu nunca tinha ouvido, se enfiou debaixo da minha cama, em claro sinal de indignação. 
O começo não vai ser fácil, eu sei. Mas confio no tempo e, principalmente, no olhar do Joaquim: duvido que a Miúda Felina também não se apaixone por ele.

7 comentários:

Maria Amália Camargo disse...

Aaaaahhh! Que miauravilha! Boas-vindas ao lindo Joaquim! Fofo, fofíssimo! Se precisar de conselhos de aproximação entre ele e Miúda, estou às ordens. Ela tem que cheirar bastante o rabicozinho dele.
Em breve os dois estarão dormindo juntinhos e não conseguirão mais ficar sem a companhia um do outro...
Ótima notícia pra gente começar bem a semana.
Beijocas e boa sorte!

Silvana Tavano disse...

Comadre Amália, foi a primeira coisa que fiz -- quer dizer, tentei fazer -- quando cheguei: mas achei que a Miúda ia morder o bumbum do Joaquim. Tadinha, ela ficou completamente raivosa e despassarada!

may disse...

miaaaaauuuuuuuummm!!!
lindinho!!!
devagar, a coisa vai...

Tiane disse...

Que legal!A Miúda ganhou um companheiro! Aqui em casa tb é assim, sempre que entra algum gato novo, é fúúú para um lado, fúúúú para o outro,e quase sempre, depois de um tempo eles estão dormindo juntos, enroscadinhos! Tem uns que não se topam mesmo! Vota e meia se encontram pelo pátio e dá aquele arranca rabo! Mas nada que impeça a convivência e a tendência é que a Miúda aceite ele, mais cedo ou mais tarde, já que são só os dois em um apartamento, não é isso? Eu sugiro que não forces nada, deixa que eles se procurem e se cheirem quando tiverem vontade. Boa sorte e feliz vida nova ao Joaquim! Ah, olha só, que coincidência, hoje mesmo postei sobre a nova cachorrinha aqui de casa, a Joaquina!http://www.adoteumfocinho-tiane.blogspot.com.br/2013/02/presente-de-natal-joaquina.html

Patricia Cerqueira disse...

Imitando a Mária Amália,
Que miauravilha! Estou aqui torcendo pra que a Miúda aceite o Joaquim, com certeza! E sangue de gatinho novo na casa é tão bom pra gente adulto.
beijos e parabéns pela novidade,
Patricia Cerqueira

Romeu-Sérgio disse...

Pode parecer drástico, mas pode funcionar e fazemos um bem pra todos. Castra ele. Ela já deve estra velhinha para uma cirugia. O Joaquim vai viver feliz sem o clamor do sexo.
R-S

Silvana Tavano disse...

Romeu, ela é castrada há trocentos anos, e ele já veio com o serviço feito, rss... Mas tem o clamor da infância, e que clamor!
beijo!