30 de out de 2012

São Paulo, 36ºC

é tanto calor que a gente sonha com neve
escrevescrevescreve

dá vontade de sair voando de ultraleve
escrevescrevescreve

mas, cadê o vento -- está de greve?
escrevescrevescreve

o sorvete e as ideias: tudo derrete e ferve
escrevescrevescreve

A "4ª tarde mais quente da história"me fez lembrar desse poema, publicado aqui, em 2009.
Postar um comentário