10 de fev de 2010

A árvore


Tudo ia bem enquanto ela crescia, lindona, ereta e altiva, enfeitando a vista da janela da minha cozinha. Até que, um dia, ela se curvou. Pode ser a idade, os anos pesam mesmo pra todo mundo. O problema é que ela entortou desse jeito e agora vive olhando aqui pra dentro, cara enfiada no vidro, xeretando tudo o que a gente faz. É chato. E também um pouco assustador. Quando venta forte, ela bate sem fazer cerimônia. Quer entrar, isso já ficou claro, e acho que vai acabar conseguindo se eu não tomar uma providência. Não é só medo do vidro quebrar no meio da noite. É que a árvore ficou com um aspecto estranho. Não consegui uma boa pose de frente por causa da claridade, mas ela tem uma carinha. E tem antenas. Parece que fica rastreando tudo o que acontece aqui, desliza pra lá e pra cá, arranha o vidro pra se impor, saliente. É como aquelas pessoas que não têm desconfiômetro: só podando mesmo.

(ST)

6 comentários:

Manoel disse...

Tia. minha mãe me mostrou a foto.
Não tenho comentarios.
Mas vou nomear esta arvore, o nome sera:
Cabelão xereta de planta.


Bjs
Manoel

Silvana Tavano disse...

Belo nome, Manu! o "de planta" seria o sobrenome, né?

Anônimo disse...

Concordo, rs rs.Só podando.
beijo
may

brancatezdamanhã disse...

mas já vai se preparando, é sempre igual, a gente poda depois fica com pena, no outro vento fica ponderando que afinal ela é tão legal tá lá há tanto tempo e faz parte da janela da cozinha meio que da vida portanto então com ou sem desconfiômetro ela vai continuar saliente, não tão bela nem tão ereta, para falar a verdade, tá meio caidinha, descabelada..faça a poda, e tb pondere!

bjs
(amei)
Marta

Mauricio disse...

Perturbador mesmo hein, tia

"Você está sendo observada"

Me conta sobre o fim da arvore quando acontecer!

É muito incrivel como temas pra crônicas aparecem voando pela sua janéla,Não?

Entender disse...

rsrsrs...ou el ate fará compania quando tiver sozinha