1 de mar de 2011

Adolescência

"De vez em quando, pego o álbum da festa pra olhar e eu mesma não acredito na minha cara de felicidade em todas as fotos. Lembro que cheguei em casa às seis da manhã, com a cabeça e o coração a mil. Não conseguia dormir. Fiquei um tempão sentada no meu quarto, no meio de um monte de presentes, realizando a coisa toda. A virada dos 15 anos foi muito forte pra mim. Desde os 13, meu corpo vinha explodindo -- eu parecia um mulherão de 1,80 m, mas continuava me sentindo uma menininha. Depois daquela festa cheguei mais perto da minha altura. Então tudo começou a se encaixar."

Trecho de um dos depoimentos de "O Nosso Rito a Gente Inventa", livro novo saindo logo, logo pela Callis.

(ST)

Nenhum comentário: