31 de jul de 2008

À procura do bruxo encantado -- postículo 4 e 1/2 (ainda)

Antes que a bruxa Creuza decidisse o que fazer naquela situação confusa, o brujo Afonsito começou a tossir, e tossir pra valer. Pudera! No meio de todo o fumacê que aquela aparição teatral tinha provocado... Até a Araci estava se abanando!

Depois de um último e sonoro pigarro, o primo Afonsito olhou na direção da Creuza, abriu os braços e, passando por cima da Soledad, que continuava desmaiada, cumprimentou a bruxa efusivamente:
- Prima Creuzita! Mil desculpas por aparecer de repente e sem avisar!

Verdade seja dita: essa parte espanhola da família da bruxa Creuza era mesmo bem temperamental, mas isso valia pra dia de chuva e dia de sol. Do mesmo jeito que eles eram birrentos e briguentos, eram carinhosos, festeiros e muito animados. Numa palavra: calientes!

Ai, ai, ai
Que olé!


Ao se aproximar, o brujo logo emendou:
-... É que... Buenas... Quando madre Dolores contou que minha preciosa tinha viajado para... para...para conhecer um novo pretendente...
- ?
- ... Um amigo seu, não é isso?...
- ??
- ... Buenas, fiquei desesperado! E como sou assim, como dizer... um pouquito impulsivo, talvez... Buenas, cá estou!
- ???


AI.

Aguardem o quinto e talvez último postículo da mininovela!
(Silvana Tavano)

-

3 comentários:

may shuravel disse...

Ah, não! Último? Só se for enoooooooooorme, se não, não vale.Estou adorando o Afonsito!
beijo
May

Anônimo disse...

Concordo com a May... Último não!!!
beijos, Vivian

Anônimo disse...

é isso mesmo! a solução do conflito não pode vir assim facilmente, nãããão!!!
talvez os postículos vão ter que considerar se tornarem capítulos...
beijo
tanya