28 de jun de 2013

Brincar de poesia

abracadabra: um, dois, três!
ué, não vai sair coelho dessa vez?

abracadabra: toc, toc, toc!
hmm, essa mágica precisa de um retoque...

abracadabra: tum, tum, tum!
nada de coelho! nem ao menos um?

abracadabra: ora, ora, ora!
vejam só: tem letra saindo da cartola!

abrapalavra: um, dois, três!
e agora aparecem as, bês e cês!

abrapalavra: toc, toc, toc!
oba, mil letrinhas no estoque!

abrapalavra: ora, ora, ora!
quantas palavras, e lá vem história!

abracadabra, abrapalavra, salabim:
que delícia é fazer mágica assim!
...
Venham brincar comigo no próximo dia 17, na Biblioteca São Paulo, a partir das 15h.

25 de jun de 2013

19

Você me olhou de um jeito tão sério que fiquei sem graça. Tinha imaginado o nosso primeiro encontro de tantas maneiras, nunca assim: silencioso, quase solene. Eram 11h10, fazia um frio danado lá fora e, por um momento, ficamos nos encarando com estranheza, ainda sob o impacto de termos sido separados -- o cordão que nos unia numa intimidade tão absoluta tinha sido cortado.
De repente, era assim: eu e você.
Diferente do que sempre pensei, o amor não explodiu naquele instante, óbvio, imediato. Foi vindo devagar, dia após dia, e se tecendo forte, num laço invisível, macio e elástico, que segue crescendo à medida em que você também cresce.
Às vezes, você entra em casa e me dá oi daquele jeito sério. Dezenove anos depois, reconheço o mesmo olhar da maternidade e, inesperadamente, sinto uma onda de amor que explode vendo você chegar mais uma vez.

24 de jun de 2013

Quacs!

Treze patos e duas Silvanas: vem aí "O Patinho Culpado", meu primeiro livro com o selo Caramelo e também a primeira parceria com a talentosa xará Silvana Rando.

20 de jun de 2013

Nas ruas

"(...) Existe um outro mundo na barriga deste mundo (...)".
Nos últimos dias, lembrei muitas vezes da entrevista do escritor Eduardo Galeano, observando a manifestação dos jovens espanhóis, em 2011.      

15 de jun de 2013

Ovelhinhas*

Ovelha, ovelhinha
Quem mandou sair da linha?

Num rebanho tão obediente
Que história é essa de ser diferente? 

E não é que outra segue bem animada
Atrás da ovelhinha desgarrada? 

E mais uma e duas e de repente 
Quantas ovelhinhas transviadas! 

Lá vão as desencaminhadas
Berram velhas ovelhas, indignadas

O que querem essas danadas?
Pasmam tantas ovelhas, atordoadas

Em busca de um novo caminho
Canta a ovelha, ovelhinha:

Se essa rua se essa rua
Fosse minha    
...
*As ovelhas da querida Noemi Jaffe deram cria por aqui.

13 de jun de 2013

Como Começa

Para saber onde as coisas vão dar, só tem um jeito: começar!

Torço pelos jovens que estão indo para as ruas: alguma coisa importante está começando.

4 de jun de 2013

Dicionário imaginário (3)

Intuição (s.f) 1. um tipo de flash que dispara de repente, deixando entrever uma fotografia que ainda não foi revelada; 2. cheiros, visões, sensações, sons e/ou pensamentos que muitas vezes dão mais sentido a cada um dos nossos cinco sentidos; 3. pressentimento disfarçado de sonho; 4. mistério que se faz entender, mesmo sem se explicar.